Arquivo de etiquetas: Arrebatamento

Excesso I

ovinhoeasrosasDeve-se estar sempre embriagado. Nada mais importa. Para que o horrível fardo do tempo não vos pese sobre os ombros e vos faça pender para a terra, deveis embriagar-vos sem cessar.
Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude à vossa escolha. Mas embriagai-vos !
E se um dia, nos degraus de um palácio, na erva verde de uma valeta, na solidão baça do vosso quarto acordardes, já sóbrios, perguntai ao vento, á onda, à estrela, à ave, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, perguntai:
“Que horas são?”
E o vento, a onda, a estrela, a ave, o relógio, responder.vos-ão:
“São horas de vos embriagardes ! Para que não sejais escravos martirizados do tempo, embriagai-vos sem cessar. De vinho, de poesia ou de virtude, à vossa escolha.
por Charles Boudelaire
pingamaores