Cultura e dignidade Humana CXVIII – Modelo de Negócio Criativo Inovador

O Modelo Criativo face ao Modelo Tradicional?

Se o modelo tradicional envolve alguma previsibilidade, o modelo criativo enfrenta um risco superior pela sua maior imprevisibilidade em relação ao que vai ser feito ou oferecido.

A economia criativa trabalha com problemas complexos. Por exemplo, numa cidade, uma área em recessão, por falência de atividades industriais, ou por um envelhecimento demográfico ou do parque habitacional, uma área abandonada, sub-desenvolvida é um bom exemplo deste tipo de problams complexos. Como é que uma zona desta pode se regenerada. Muitas vezes entrega-se a arquitetos a tarefa de regenerar ou reabilitar a área. Esse é um caso em que não se sabe qual será a solução final. O que  é que aí será feito e de que forma o espaço será vivido e aproveitado.

É claro que esse espaço pode ser desenhado e nele se podem fazer empreendimento imobiliários. O imobiliário tem sido uma forma de reabilitar os espaços urbanos degradado. Mas o que acontece em termos de atividades. A construção demora anos. A fixação de pessoas tambem. As atividades demoram vários anos a surgir. E durante ese tempo, a área continua a ser uma área degradada, que muito lentamente se vai regenerando.

Trata-se de um processo complexo. Pois, por exemplo, os equipamentos públicos e o espaço público que vai ser desenhado, será pensado para necessidades atuais. É certo que essas necessidade serão projetadas, em termos de dimensão para um futuro de médio prazo (dinâmica demográfia, fluxos de tráfico, comunicações, redes de infraestruturas, etc). Serão espaços que vão ser usados por residentes e por visitantes, cujas necessidades sõ pensadas no presenta, mas que dentro de 20 a 30 anos poderão ter necessidades completamente diferentes.

O processo de criatividade pode dar uma ajuda neste processo de planeamento, de forma a torna-lo mais amigável. O processo criativo procura desenvolver uma ideia. Vejamos a questão do espaço público. Uma praça pode ser usada apor cidadão reformado, por jovens, pode ser aberta de forma a atrair o maior número de visitantes. Num processo criativo, esse espaço, para ser desenvolvido, deveria ser feito através de processos participativos. Usar métodos de arte pública, de forma a levar as pessoas a pensar e a propor soluções para o desenho desse espaço, de forma a encontrar soluções que satisfação as suas necessidade.

A ideia é criar processos de dinâmica de grupos que envolvam os diferentos grupos da comunidade, para pensar e agir na cidade. Tentar que os grupos criem ideias para problemas que sentem. Isso implica usar o espaço para identificar as necessidades emergentes, ao invés de propor soluções pensadas em gabinetes. Criar ideias e concretiza-la como forma de intervenção no espaço público ilustra um dos processos criativos na cidade

As dinâmicas de grupo em contexto são metodologia adequadas para construir um processo participativo criativo sobre o que pode ser feito, o que e possível ser feito. É claro que não pode ser feito tudo o que surge ou que é desejado. A certa altura é necessário escolher, negociar prioridades, concentrar recursos, apostar no que surge como mais promissor.

Ou seja o processo criativo inicia-se com as ideias, o maior números de ideias possíveis, para testar e escolher algumas delas para desenvolver sobre a forma de teste. Criar um ou dois protótipos, construir uma maquete para discutir, idealizar como o espaço poderá ser construído e usado. O produto final que emerge é algo que é previamente testado, que em princípio será mais adequado às necessidades pessoas, mas na verdade esse produto final, não é conhecido no início. Ele é desenvolvido durante o processo.

A economia criativa trabalho com processos de adaptação, onde muitas vezes os produtos são construídos à medida em que o produto e serviço é oferecido. São dois modelos de negócios diferentes.

Num negócio tradicional, define-se um produto, um grupo alvo, cria-se um grupo de clientes, comunica-se com mercado, e procura-se ter um rendimento. No negócio criativo, não sabemos o que vai ser feito. E um processo de participação com base na criatividade. A criatividade é o que fornece o produto final