Novos Desafios para a Museologia Social (III)

 (II) O desafio de LIGAR pessoas?

Um museu apresenta uma narrativa sobre um assunto. Uma história contada pelos objetos colocados em vitrinas, rotulados com etiquetas com informação sobre a autoria, o ano de criação, o material e a técnica usada. Uma história que alguém contou, numa ordem que escolheu a partir de certos objetos. Uma escolha de ordem cronológica (sequencial), de funções (as diferentes formas dum mesmo tipo de objeto) ou de ordem estética (por afinidade de escolas). São histórias contadas a partir de alguém que procura captar a atenção dos visitantes.

O desafio da Museologia Social é o de usar os museus para ligar as pessoas. Para as fazer estar juntas e construir coletivamente as histórias que são importantes. Ligar pessoas é partir do encontro para olhar para o mundo a partir das diferenças dos olhares de cada um. Um desafio de criar um olhar sobre múltiplas perspectivas.

Para fazer este tipo de museus é necessário abrir as portas. Sair para a rua e procurar o que é relevante. Questionar as pessoas para que elas mesmas se representem e propor que o espaço do museu seja o lugar escolhido para se encontraram. Estes são museus que procuram respostas para o pulsar do mundo. Procuram compreender o território e a cidade como espaço de cidadania. São promotores a ação na comunidade.