Museologia Movimentos Sociais e Inovação – Reflexões I

Qual é a eficácia do movimento e o que é que traz de novo. Nestes movimentos, não é tão relevante o resultado, mas sim a participação no processo. As suas formas de organização, em muitos casos são efémeras. Os seus resultados são muitas vezes efémeros. O que é importante é o processo. A experiência de viver em processo e a aprendizagem do processo de tomar voz. De expressar a sua voz. A liberdade do debate de ideias. A experiência de mudar de ponte de vista através do debate. A abertura da experiência ao que é novo. A abertura a explorar novos caminhos e novas formas de organização. O que está a nascer são experiências práticas. Nestes movimentos está a nascer o futuro. São formas de organização que se estão a decantar. Será a partir deles que se irão constituir as formas políticas de futuro. Os movimentos sociais na história não são movimentos políticos. Podem ter implicações políticas, nas organizações políticas. A mudança social é uma mudança cultural. É através da exploração de novas formas de intervenção na sociedade que se produz mudança cultural. Por exemplo, nas questões do género, não é a mudança da política que muda a cultura do género. Foi através do movimento das mulheres, da contestação ao modelo social patriarcal, da alteração da relação da mulher consigo mesma, com a sua sexualidade, com o seu papel com a família, com os filhos e com a sociedade, que levou às alterações da política de género. As leis do género mudaram porque a sociedade mudou.A mentalidade mudou Outro exemplo, nos EEUU, nos anos 60, mais de 70% da população acreditava que o esforço individual é que marcava o sucesso e a distribuição do padrão de riqueza. Hoje, esse numero é inferior a 30%. Está a verificar-se uma alteração da mentalidade, centrada no esforço individual, para o padrão colaborativo. A alteração das relações de exercício do poder social que os movimentos sociais estão a produzir, está a obrigar a uma alteração das relações dos políticos e do sistema político com a sociedade. A transição da sociedade industrial para a sociedade em rede, da sociedade de comunicação, não pode ser feita com as mesmas instituições de poder. Estas instituições são duma sociedade que já não existe. A instituição política que herdamos da sociedade industrial está bloqueada. Está incapaz de resolver os problemas sociais e procura, através do enfrentamento com os movimentos sociais, impedir essa alteração.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.