Museologia Movimentos Sociais e Inovação – Reflexões I

A propósito da Redes de Indignação e Esperança da Conferencia de Manuel Castells em Porto Alegre

Nos últimos cinco anos o mundo conheceu uma intensa vaga de movimentos sociais. Na Europa e na América, na sequência da crise financeira, norte de África, na sequencia do problema do desemprego e da autocracia, na América do Sul, na sequencia de afetação de recursos aos benéficos sociais. Na Irlanda em 2009, em Tunes 2010 que desencadeia a Primavera Árabe, os Indignados em Espanha, em 2012, Em Portugal e na Grécia na sequencia da intervenção do FMI, em Nova York, no Ocupay Wll Strett, um movimento mais largo do que se julga. Na Nigéria, com o occupay Nigeria, os Estudantes do Chile,, no México e no Uruguai, numa particular conjuntura económica, de crise financeira, gerarou-se um intenso movimento social. Qual é o padrão comum destes movimentos ?

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.