Passagens Experiências de Liberdade em espaços de transição V

Conclusão

Concluindo afirmamos que podemos reforçar a nossa preposição de que a intervenção cultural em processos patrimoniais se pode posicionar como um processo de afirmação cidadania e diversidade cultural, contribuindo para comunidades sustentáveis. Nos vários processo observados verificamos que estão a ocorrer transformações e inovações que se refletem no trabalho patrimonial em espaços urbanos de transição. Hoje é necessário observar os processos patrimoniais com outras lentes e outros instrumentos de forma a que seja possível identificar lugares de potência..

Os trabalhos que temos vindo a fazer, a partir de 2017 que passaram pela identificação e análise dos valores culturais das comunidades e proposta da sua incorporação em processos de valorização do património cultural, reforçam a busca do entendimento do papel das comunidades nas dinâmicas transformadoras da sociedade, com o objetivo de favorecer as expressões da diversidade cultural e como processo de partilha de práticas sobre diferentes tipos de património, como forma de liberdade e de construção da justiça cognitiva.

Consideramos que o campo da museologia social em Portugal de deve preparar para se envolver e dar apoio a grupos e comunidades que procuram afirmar as suas memórias, ancoradas no desenvolvimento da educação patrimonial.

Estes instrumentos devem partir da elaboração de cartas do património participadas, ações de sensibilização pública, a mobilização de recursos para intervenção patrimonial, o desenvolvimento de formação e treino em metodologia de história oral, na criação de arquivos digitais, no uso dos média digitais e o desenvolvimento de apps sobre património, no desenvolvimento das metodologias de trabalhos com grupos, nos procedimentos de envolvimento das comunidades locais, nos trabalho com escolas para promoção de oficinas de museologia social.

No trabalho torna-se necessário documentar a história e património da comunidade através do uso de técnicas de imagem e som, no desenvolvimento de exposições participadas, que permita a aplicação de metodologias participativas e o empoderamento de comunidades e na participação de redes de memória que permita ampliar o alcance das ações e promover uma comunicação participativa entre os membros das várias redes.

Bibliografia

  • Benjamim, Walter (2011) A origem do Drama Barroco Alemão. AnneBlumen.
  • Benjamim, Walter (2009). Passagens, Minas Gerais, UFMG,
  • Cassano, Franco e Leite, Pedro Pereira (2017). Epistemologias Meridionais: Museologia, Urbanismo e Direitos Humanos, Informal Museology Studies, nº18,
  • Leite, Pedro Pereira (2017). Museologia Social e Dignidade Humana, Lisboa, Marca D’água
  • Leite, Pedro Pereira (2018). Museologia Social e Paisagens, Informal Museology Studies, nº 19
  • ONU, (2015) Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, UN,
  • Ricœur, P. (2000). La mémoire, l’histoire, l’oublie, Paris Editions du Seuil.
  • Santos, Boaventura de Sousa (2000). A crítica da Razão Indolente, Porto Afrontamento
  • Stephen R. Sterling (2001). Sustainable Education: Re-visioning Learning and Change, Green Books for the Schumacher Society.
  • Turino, Célio (2010). Ponto de Cultura: O Brasil de Baixo para Cima, São Paulo, Anita Garibaldi.
  • Valleriani, António (2012). Ermeneutica dell’educazione. Studi in onore di Antonio Valleriani
  • Yúdice, George (2006) A conveniência da cultura: usos da cultura na era global, Belo Horizonte: Editora UFMG

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


OpenEdition sugere que esta publicação seja citada da seguinte forma:
Pedro Pereira Leite (11 de Março de 2018). Passagens Experiências de Liberdade em espaços de transição V. Global Heritages. Recuperado em 25 de Julho de 2024 de https://doi.org/10.58079/p3gu


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.