O Arquipélago dos Saberes de João Caraça

Arquipélago dos Saberes

Cada época organiza os saberes em função do contexto social e do seu mundo mental. Na Idade média, mundo fechado e com um espaço central finito (a terra como centro do mundo), a organização dos saberes é apresentada como um círculo, à volta do qual de junta os saberes: a filosofia (escolástica) é o centro do conhecimento; à à sua volta a sete artes liberais: a gramática, a retórica, a dialética, a música, a aritmética, a geometria e a astronomia.

Com a emergência da modernidade renascentista, este organização do conhecimento perde a sua importância. O iluminsto introduz a ideia da árvore do conhecimento. A enciclopédia de D’Alambert e Diderot apresenta uma árvore do sbar com um troco, aparti do qual emergem ramificações do saber. O tronco comum tem três pilare: a ciência de deus, a ciência do homem, e a ciência da natureza.

No século XIX, a  emergência da mecanização, das comunicações (estradas e caminhos de ferro, telegrafo) avançaa para uma  classificação e uma herarquização dos saberes. Uma pirâmide de saberes, no topo a matemática, como linguagem da natureza, à que se segue a física, a química e as ciências da natureza. De seguida, em baixo, as humanidades, as artes e a religião. Esta classificação do saber vai-se manter até meados so século XX. Nos anos sessenta, após a tirunfo da engenharia e da tecnologia, emergem os serviços à sociedade e as novas industrias. A informação e a externalidade dos serviços começam a emergir como consumo social. Surgen as novas tecnologia de informação, a rádios e a televisão, as industris do livro e da música, a imprensa de massas. Os serviços educativos em extensão (universais) e a formação. Novas áreas aplicada à indsitria e à economia, como o marketing e o design. São transformações qu decorrem da transformação das sociedades

Na verdade a comunicação deixa de ser uma troca, para passar a ser uma partilha. Após em transação de informação as partes detêm a informação que foi objeto da transação. Isso implica que o valor económico da transação é diferente. Nas sociedades de informação, onde a informação e o conhecimento joga um papel central, o poder desempenha uma função de regulação, ou permite a troca ou mantem a hierarquia de subordinação. As transações de informação e conhecimento não dependem dos recursos materiais, mas dependem, sobretudo da capacidade de comunicação dos interluctores.

O aumento do investimento em valores imateriais na economia, bam como a sua diversificação implica rever o modo como a ciência e a tecnologia se articula com outros saberes. O impacto da economia do conhecimento, juntamente com o processo de globalização na sua relação com ciência, implica repensar a dinâmica do conhecimento.

A intensificação da exploração dos recursos mundiais no princípio do século XX, a crescente mecanização implicam um transformação da sociedade. As máquinas tomam cada vez mais um papel ativo nas transferência de informações relevantes, mesmo na execução de pequenas tarefas. Toda a transformação que se está a operar na sociedade, por via das novas tecnologias de comunicação, está a presisionar a transformação do sistema científico.

O paradigma do progresso, onde as antigas sociedades se fundaram, está a ser substituído pelo paradigma da complexidade. A complexidade implica um dialogo profundo com a ação e com os valores de troca. Por isso a ideia do arquipelago dos saberes, enquanto ideia metafórica, procura dar resposta às transformações.

O arquipélago procura dar conta da relação entre os quatro domínios do saber. Religião, arte, política e técnica. Trata-se duma situação sem hierarquia mas como campos de diálogo.

Uma forma de circulação de conhecimento.

Neste esquema, Caraça defende e releva a confrontação entre três relações da relação do ser humano com o mundo:

A dialética entre a objetividade/subjetividade; a intersubjetividade e a interatividade. Segundo o auto correspondem a três regimes de conhecimento. O conhecimento implícito (tacite), o conhecimento explicito, e o conhecimento disciplinar.

Os eixos perpendiculares associam à combinação entre a descrição da realidade, apicada aos dois modos de fundamentais de ação e comunicação humana.

Neste arquipélago dos saberes a ciência funciona como como um dos sabres constitutivos do campo cognitivo que ordena a produção de sentido na sociedade (narrativas) contemporânea, também chamada (impropriamente) como sociedade do saber, do conhecimento ou da comunicação.

Isso procura distinguir as sociedades atuais das precedentes, que não foram baseadas no conhecimento. Esta perda relativa da hegemonia da ciência, que partilha com outras formas de saber, com estratégias diferentes, é relevante para a sociedade. A ciência deva promover o diálogo e a interação com outras formas de saber, ao mesmo tempo que deve, internamente, melhorar as formas de circulação dos conhecimentos disciplinares, implícitos e explícitos. Em suma deverá valorizar a tradução de uma sucessão de linguagens até ao domínio do saber comum, como forma de melhorar a performance da economia, reforçar as tomadas de decisão, e alagar a componente científica da cultura no seio da sociedade civíl. De forma a permitir um aperfeiçoamento da formação, das aprendizagens e da educação.

 



Citar este post
Pedro Pereira Leite (2018, 8 Fevereiro). O Arquipélago dos Saberes de João Caraça. Global Heritages. Recuperado em 21 de Junho de 2024, de https://doi.org/10.58079/p3fy

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.