Ecomuseu e interpretação da paisagem IV

O IV artigo da serie do arquteto Fernando Pessoa, sobre o ecomuseu dos biscoitos, nos Açores, no blog “Bago de Uva”

(anterior aqui)

Essas vinhas, com a estrutura do território que possibilita as melhores condições para a sua cultura, chegando praticamente inalterada aos nossos dias, constituem uma paisagem histórica de grande significado.
Denotando extraordinário sentido de adaptação a novas condições ecoclimáticas e um grande conhecimento das capacidades produtivas dos materiais naturais, os primeiros povoadores começaram por escolher sabiamente a orientação de encosta, apesar de ser de difícil preparação.
Com efeito, existe pouca terra e pouco profunda nesta área, e a vinha é plantada na própria rocha friável, nela abrindo covas a esforço de braços e de alvião, onde se introduz o bacelo.
Para proteger a vinha da salinidade do ar e da força dos ventos que sopram do oceano, ali a escassos metros, toda a área de vinha foi trabalhada com a construção de uma quadrícula, mais ou menos regular em dimensões, de muros (travessas) de pedra seca – as curraletas – feitas de pedra solta que é resultado do desmonte do terreno. Como se pode depreender das imagens, é um trabalho penoso, iniciado nos recuados anos de quatrocentos e que se manteve até aos nosso dias; continua-se a trabalhar com a s mesmas técnicas e os mesmos objectivos.
Estamos assim perante uma paisagem histórica com o valor que lhes advém de ser secular e de continuar a “funcionar” ininterruptamente desde então; é como se fosse uma catedral ou uma fortificação que nos chega do século XV.
Apesar deste inquestionável valor patrimonial, a área de vinhas da Verdelho nos Biscoitos tem vindo a ser ameaçada seriamente nos últimos anos, pela expansão da construção de moradias; iniciativas diversas, nomeadamente desenvolvidas pela Confraria do Vinho de Verdelho dos Biscoitos, têm, tentado em vão, junto das autoridades, a protecção que uma paisagem daquela natureza exige.
As autoridades autárquicas têm sido pouco receptivas e as autoridades regionais pautam-se por evasivas e meias-medidas que não têm conseguido travar o surto das novas construções.
Ora nesta área da freguesia dos Biscoitos vive-se o ambiente propicio à instituição de um ecomuseu, porque uma boa parte da população participa na manutenção e na animação desta paisagem, baseada na cultura de vinha em curraletas. O facto da Junta se Freguesia e mesmo a Câmara Municipal de Praia da Vitória não serem propriamente entusiastas de medidas decisivas de protecção àquela paisagem, e até revelarem nítida preferência pela expansão urbano-turistica, isso não representa o sentido da maior parte das pessoas da freguesia.
A criação de um Ecomuseu será uma medida de alcance cultural, que alargará a notoriedade que a freguesia hoje já tem graças ao vinho licoroso (VLQPRD- Biscoitos); além disso dará novo alento á população que já hoje se envolve na actividade das vinhas e poderá atrair novos entusiasmos por exemplo através de campos de trabalho em férias para a juventude, durante os quais as camadas jovens colaboram na execução dos trabalhos e aprendem o valor patrimonial daquela região.
A musealização do Sítio dos Biscoitos onde se mantém a paisagem histórica de vinhas que remota ao século XV, poderá ser feita através do Ecomuseu doa Biscoitos, no qual entram entre outros os seguintes elementos:
– A área de curraletas.
– Rede de caminho de passeio entre as áreas de vinha.
– Miradouros no interior das áreas de vinha.
– O Museu do vinho e o campo Ampelográfico da Casa Agrícola Brum.
As adegas de vinho da zona.
– Oficinas de artesanato local (cesteiros).
– Ruínas de uma adega primitiva do século XVII ou XVIII- Presa dos Lagarinhos.
– Ermida de Santo António, e ruínas de duas outras.
– Forte de S. Pedro e Forte do Rolo.
– Animação ligada à cultura da vinha.
– Vestígios da antiga actividade da caça à baleia.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.