Redes de Museus XI – O caso da Rede de museus da Madeira

Corria o ano de 1998. Lisboa celebrava a vida nos oceanos na Exposição Universal.  Na Região da Madeira concluía -se  o novo aeroporto, que para alem de acrescentar segurança, permitia a aterragem de aviões maiores. E aviões maiores significava mais turistas de mais lugares. O turismo era e continua a ser a especialização económica da ilha. Por imposição da Comissão Europeia, o expectável crescimento turístico teria que  ser sustentável tendo em atenção os limites de capacidade  de acolhimento da ilha.

Isso levou a elaboração dum Plano de Ordenamento Turístico, que analisou a ilha de diferentes maneiras. Acompanhamos, nessa altura a avaliação e diagnostico das atividades culturais e nele propusemos, entre outras medidas a criação dum Rede de Museus que permitissem potenciar o marketing desses valiosos equipamentos.

A Direção Regional de Cultura avançou com a ideia e ainda hoje esse rede funciona. A rede de museus da Madeira pode ser vista nesta ligaçao.

https://museus.madeira.gov.pt/Apresentacao

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.