Cultura e Dignidade Humana – CVII – Caracteristica do mercado de Trabalho Criativo

vamos apresentar as características do Mercado de trabalho colaborativo e a ligação entre economia criativa e o desenvolvimento sustentável.

Trabalharemos nos próximos postais dois pontos

  • Identificar as características do Mercado de trabalho
  • Identificar a ligação entre Economia Criativa e Desenvolvimento Sustentável

Vamos agora abordar as características da cultura e das industrias criativas. Vamos argumentar que existe um novo paradigma de desenvolvimento que é constituído pela ligação entre cultura e economia como um único setor, que inclui ambos os elementos (cultura e economia) e que usa a tecnologia para atingir relevantes questões (ou valores) sociais, tais como inclusão, dignidade humana ou justiça cognitiva.

Vamos partir de três questões básicas, que tem por base a criatividade, o seu elemento essencial, o conhecimento e o acesso à informação. O ponto que argumentamos é de que esta combinação pode produzir um desenvolvimento sustentado para pessoas, grupos em determinados lugares no âmbito da economia global

O setor das industrias culturais e criativas é um setor muito vasto e diversificado. Média, musica, artes performativas, moda, design, património incluindo as TICs[1].

Em 2006, a Agencia das Nações Unidas para o comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD) iniciou a discussão do valor do setor criativo em termos económicos[2]. Quando pensamos em arte, cultura, criatividade, na maioria dos casos visualizamos um vago setor de artistas, muitas vezes marginais e pobres, onde é muito difícil pensar como pode ser valorizado ou planeado como atividade económica. A economia está habituada com as cadeias de valor. Produtos, matérias primas que se transformam e vendem no mercado. Como é que a arte e a criatividade pode ser uma atividade de mercado. É claro que existe um mercado para a arte. Os pintores ou artistas vendam as suas obras. Mas muitas vezes, este setor está muito associado às ajudas do estado, que ajuda a pagar, na parte ou no todo, as produções artísticas. Mas nem sempre a relação entre cultura e criatividade com a economia é clara.

A UNCTAD, em 2006 começou por analisar as estatísticas. Começou a procurar as evidência de um conjunto de factos básicos das indústrias criativas, para os conhecer e avaliar em termos de valor económico. E ao final de alguns números, os economistas que organizaram a informação ficaram surpreendidos pois concluíram que em termos económicos, as industrias criativas eram muito mais significativas do que à partida de poderia pensar. Em muitos casos, por exemplo, os números mostravam que o peso das indústrias criativas se situavam entre os 3% e os 10% do PIB, dependendo dos países. Em muitos casos era superior do que o peso da industria alimentar. Também verificaram, que quer em países desenvolvidos, quer em países menos avançados, os números da economia criativa mostravam que o peso deste setor era muito superior ao esperado. Isso levou a que toda a gente rapidamente se mobiliza-se para olhar para este setor com atenção. E isso hoje é já um dado inquestionável[3].

 

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.