Jornadas da Primavera ICOM-PT (II)

Ana Carvalho (AC) (04’43’’) – Bom dia a todos. Como já foi dito vamos dedicar este painel à nova Recomendação da UNESCO sobre a Proteção e Promoção dos Museus e Coleções. Este é um documento que foi aprovado por unanimidade a 17 de novembro de 2015 no âmbito da Assembleia Geral que teve lugar em Paris, na UNESCO. Portugal esteve envolvido neste processo através da Direção Geral do Património Cultural, e também por sua vez o ICOM Portugal e ICOM Geral. Quero chamar a atenção que não existe uma versão oficial da Recomendação em língua portuguesa. No site da UNESCO está apenas disponível uma versão em Inglês. No entanto o ICOM Portugal disponibilizou no seu site uma versão, que é um documento de trabalho ainda, da versão em português, com base numa tradução que o Instituto Brasileiro de Museus nos cedeu, onde nós fizemos uma pequena revisão e ali apresentamos disponível para todos lerem.

Enfim, vamos procurar nesta mesa falar um pouco sobre a importância desta Recomendação. Ela é muito completa, muito abrangente. Vamos referir quais são as principais orientações, as principais novidade que este documenta trás e sobretudo pensar qual poderá ser o impacto deste Recomendação ao nível das políticas nacionais.

Para nos ajudar a pensar estas questões temos connosco Clara Frayão Camacho e Pedro Pereira Leite, que passo a apresentar. Clara Camacho é Técnica Superior da Direção Geral do Património Cultural, foi coordenadora da Rede Portuguesa de Museus, Subdiretora do Instituto Português de Museus e do Instituto dos Museus e da Conservação, é professora de museologia em várias universidades. Mas está aqui hoje, sobretudo por ter sido a perita nomeada pela Direção Geral do Património Cultural para tratar destas questões no processo de elaboração da Recomendação na Unesco. Pedro Pereira Leite é investigador em Pós-doutoramento no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, é professor de Museologia na Universidade Lusófona, é ainda Diretor da Casa Muss-amb-ike e do Museu Afro-Digital Estação Portugal. É também alguém que tem investigado a questão da Função Social dos Museus nos seus trabalhos, e é sobretudo por essa razão que está aqui hoje.

Vamos então começar esta conversa, e pergunto à Clara Camacho quais são, na sua opinião, as principais novidades que esta recomendação nos trás?

Clara Camacho (CC) [7’40] Bom dia. Esta Recomendação tem um significado Histórico desde logo em primeiro lugar, por ser na vida da UNESCO, que é uma organização com setenta anos, em números redondos, nasceu em 1945. Neste setenta anos da vida da UNESCO, foi apenas a segunda vez que a UNESCO produziu um documento orientador e normativa, apenas direcionado para os museus. Há um antecedente, teremos oportunidade de falar dele, emitido em 1960. É um documento muito esquecido, esse documento de 1960. Creio que termos oportunidade de voltar a ele. Mas o fato da UNESCO ter emitido um documento orientador, especificamente orientado para os museus é quanto a mim a principal novidade e o principal valor simbólico e enfim significado operacional que também o tem. O segundo aspeto é, diria,  absolutamente inédito quanto a mim. É a consideração das coleções por si, espero que tenhamos oportunidade de discutir esse assunto, as coleções não museológicas, como objeto de proteção e promoção. Elas figuram no título e depois figuram escassamente no texto, mas figuram. O terceiro aspeto é o acento na consideração da Função Social dos Museus, que não será para nós profissionais dos museus nenhuma novidade, mas que num documento deste genro têm outro alcance. Finalmente o aspeto, que para todos nós nos diz muito: É o fato deste documento ser diretamente voltado para influenciar as políticas públicas nos estados Membros. E é aí que este documento se diferencia completamente dos documentos do ICOM. É que os documentos do ICOM são voltados para os profissionais. O ICOM é uma organização de profissionais de museus. A UNESCO é uma organização de Estados. De Estado Membros e de Governos que aí estão representados. E esta Recomendação surge e têm como objetivo final ser adotada pelos Estados Membros. E assim em síntese começava por destacar estes quatros aspetos.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.