Jornadas da Primavera ICOM – Portugal (I)

Neste e nos próximos sete postais fazemos a transcrição das intervenções feitas durante as Jornadas de Primavera do ICOM Portugal, realizadas em 30 de março de 2016, que serão publicadas no próximo Boletim de Outono do ICOM. Recorde-se a propósito da questão da Função Social dos Museus, que publicamos as nossas notas em Informal Museology Studies

José Alberto Ribeiro (JAR) – Bom dia a todos. Sejam bem-vindos a mais estas Jornadas da Primavera do ICOM Portugal. Queria Agradecer a vossa presença. Quero também agradecer a presença do Sr. Subdiretor do Património Cultural, Dr. David Santos por participar neste debate que hoje fazemos, tão interessante para a área dos museus. E obviamente agradecer aos meus colegas da Direção do ICOM e da lista do ICOM pela organização dessa jornada e pela preparação deste dois documentos que vão ser o mote desta conversa. Hoje da tarde, como sabem, realizar-se-á a Assembleia-Geral do ICOM Portugal. Os colegas podem e devem participar nesse ato o e irão apresentar contribuições e certamente apresentar algumas situações que merecem debate.

Estes documentos que vão ser discutidos hoje são documentos de grande importância para a área dos museus. O primeiro A Recomendação da UNESCO pela importância que tem do ponto de vista histórico, se ser um documento que esta organização produz para questões relacionadas com a área dos museus; como também por ele apresentar uma visão de museus de museu e coleções mais alargada e mais adequada aos tempos que hoje vivemos. Para muitos de nós essa definição parecerá uma forma quase natural ou poderão entender como algo familiar, mas de facto é que essa é uma visão mais abrangente, mais alargada em relação ao papel dos museus na sociedade.

Em relação à Carta de Siena, que está na base do tema que este ano o “Dia Internacional dos Museus” que tem a ver com as paisagens culturais, é também de extrema importância esse entendimento de como é que os museus têm um papel neste contexto das paisagens culturais. Um papel bastante ativo e proeminente naquilo que são as paisagens culturais.

Depois do debate de hoje, e agradeço também à Graça Filipe que fará relato final sobre estes dois documentos, faremos um documento final que servirá para enviar a todos os nossos membros e publicado no nosso “site” e divulgado para a Direção do Património Cultural e a todas as entidades com atividades sobre museus, e esperemos que ajude todos os museus que estão a preparar o dia Internacional dos Museus. Esperemos que ajude não só a divulgar a Recomendação da UNESCO, mas também a constituíram uma base de informação sobre estes dois documentos que estamos a tratar.

Bom trabalho e vamos começar com uma conversa entre a Doutora Clara Camacho, o Doutor Pedro Pereira Leite com moderação da Doutora Ana Carvalho, aos quais agradeço terem aceite o nosso convite. Muito Obrigado e bom trabalho.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.