Educação Popular XVIII

A educação popular e a educação universitária

A educação tende a ser olhada como uma oportunidade. Há que pensar novos processos de intervenção do conhecimento. Por exemplo educação e saúde. A educação popular terá que construir o seu próprio conhecimento a partir das relavências da sociedade.

O desafio da Educação popular é trazer o saber popular para as universidades. Criar universidades anticapitalistas, antipatriacais e anticolonialistas. Assim se poderá ligar a Educação Popular e a Universidade Popular, através da transformação social e a reformulação das estruturas internas. Estruturas sul-sul assentem na criação e inovação.

O modelo de extensão universitária é também um dos desafios da Educação Popular. Há vários modelos de extensão (anglo-saxonico, umboltiano, napolónico e o modelo londrino). O modelo de extensão tem sido visto como um modo de capturar receitas para a universidade.

No entanto o modelo de extensão permite criar inovação institucional. Por exemplo, o modelo de observatórios articulados com a sociedade civil permitem identificar problemas que estão a surgir e propor acções para os resilver ou minorar.

É necessário reformular as universidades. Reequacionar o ensino médio e a escola pública para a adequar ás transformações na sociedade. Novas instituições e novas formas de atuar.

Por exemplo, as oficinas da Universidade Popular, com aduração de dois dias, ajudam a construir as epistemologias do Sul. As suas plavras de ordem são. Democratizar, Descolonizar, Despatriacalizar desmercantilizar Obter certificações autónomas  e assentar em pedagogias alternativas

A pedagogia das ausências permite criar um outro conhecimento a partir da interrogação do conhecimento do outro. Permite criar uma pedagogia crítica. A pedagogia das emergências permite criar conhecimento a partir do dialogo, permite confrontação de saberes, permite uma tradução intercultural a partir do mapear das ideias. Permite construir um conhecimento vivo.

Construir um apedagogia como uam processo de artesanato, tecendo os conhecimentos dos outros e integrar as diferenças. A pedagogia popular como uma construção rizom+atica de corpos e saberes nos territórios.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.