Museologia Nómada e Função Social dos Museus XVIII

Comparação entre escola e museu

 

A construção de formas de cooperação entre a escola e o museu, ajudando cada uma das instituições a sair do seu próprio isolamento em relação ao mundo que lhes é exterior, abalando-se mutuamente nas suas resistências mais tradicionais, é com certeza um profícuo caminho para uma melhor definição e uma mais eficaz concretização da função social do museu. Este tipo de colaboração contribuirá, igualmente, para o reforço de um sentido comum que lhes permita enfrentar, adaptar e desafiar, sugerindo novas configurações, os novos fenómenos sociais e culturais ligados à produção, e consumo, de formas complementares de conhecimento.

A escola no seu processo de alargamento/acolhimento de novos grupos sociais, foi forçada a abrir-se ao exterior através de articulações com a sociedade onde se insere, esta tomada nas suas múltiplas formas de comunicação, e de expressão, assim como na sua diversidade e multiculturalidade. Este prolongamento da escola para o exterior  é hoje imperativo porque estas novas “clientelas estudantis” introduzem elas próprias no interior da escola a heterogeneidade do meio social e cultural de que são originárias. A escola tem alargado a dimensão de aprendizagem a instrumentos de preparação para a vida no sentido mais lato.

O alargamento do ensino obrigatório veio aumentar o fosso entre o museu que permaneceu elitista e o ensino escolar que se popularizou. No entanto, e voltando à função social dos museus, tal como as escolas os museus deverão entender a aprendizagem mais como um processo do que como um produto.

A extensão da escola a novos grupos sociais e o esforço das escolas de verdadeira inclusão pela formação, não apenas em termos dos conteúdos escolares formais mas em termos da preparação para a vida, pode ser  positivamente aproveitado pelos museus. Os indivíduos que beneficiarem dessas oportunidades são os que estarão mais preparados para avançar no processo cognitivo de aprendizagem, e para reforçar, e alargar, as suas estruturais pessoais de conhecimento.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.