Medição do Estado de Saúde Pública (Saúde Global IV)

A Saúde pública tem que ser medida. Embora a definição de estado de saúde seja “um estado de bem-estar completo, incluindo o mental, o físico e o social” e não seja apenas a ausência de doença, é necessário medir o estado de saúde duma comunidade. Medir é importante para avaliar a situação ou medir os resultados alcançados. Os processos de medição são também relevantes para tomada de decisão, para comparar processos e regiões. Comparar no tempo ou no espaço.

As medidas mais relevantes são a longevidade, medida à nascença. A esperança de vida é diferente de país para país ou entre regiões. Isso fornece um indicador de determinados problemas. Contudo, um outro indicador, que é a esperança de vida sem doença, é bastante útil para entender problemas que existem nas comunidade. São medidas que capturam o tempo e acusam a situação real. A partir da análise destes resultados é possível tomar decisões sobre processos para reduzir as disparidades entre situações. Como reduzir o impacto negativo de doenças na comunidade.

Outro indicador muito útili para analisar o estado de saúde da comunidade é o indicador sobre a causa de morte. A causa de morte é útil para definir critérios de comparação claros e criar programas para grupos específicos da população ou para analizar situações de pobreza. Permite sinalizar práticas culturais

Este tipo de informação pode ser recolhido das indormações estatística dos estados. Os sistemas implementados são hoja quase todos fiáveis e robustos. Há no entanto paíse, menos desenvolvidos, onde a estatística está menos desenvolvida, sendo necessário questionar parte da sua informação. Quando há falta de informação estatística, para a cusa de morte, por exemplo é possível fazer autópsias orais, interrogando as causas de morte na comunidade. A construção de indicadores de morbilidade infantil e mobilidade adulta são também interessantes para construir um caso de inquérito às praticas das comunidade. Procurar relacionar a causa da morte ou da vida com doença constitui um importante indicador para os estabelecimentos de programas. Por norma os sistemas sociais ajustam-se com alguma lentidão aos ritmos de transformação social. Os inquérito sobre a morbilidade permitem ter uma ideia mais clara sobre os desiqilibros que estão presentes numa dada comunidade.

A morbilidade ou a vida vivida com um processo degenerativo é um importante fator de geração de pobreza e desigualdade, contribuindo fortemente para a diminuição da esperança de vida.

Há também outros modelos de indicadores estatísticos. Por exemplo em 1994 o projecto Burden identificou dez indicadores sobre a mortalidade prematura e a morbilidade prolongada. Esses indicadores de qualidade de vida perdida, podem quando comparados entre si, podem dar uma ideia das perdas socais, dos custos envolvidos, para a sociedade, por um estado de saúde menos robusto.

O global Burden que foi reavaliado em 2010 permite comparações globais e regionais.

Outro conjunto de indicadores estatísticos, o DALYS  permite revelar a emrgência de uma diferença entre a quantidade de vida possível de viver com qualidade e a que efectivamente é vivida.

O GBD não são contudo as únicas fontes de informação e trabalho. É necessário, para um investigador em sistemas de saúde globais, pesquisar também os indicadores de desenvolvimento. O PIB deixou de ser um bom indicador, mas o Índice de Desenvolvimento Económico, que inclui informação sobre o ambiente, a educação, a redução da pobreza e a saúde, é também um bom instrumento de trabalho. Dada a ligação que existe entre a pobreza e a saúde, o investigador deverá estar atento às questões de pobreza.

Esta é de resto uma questão que está em cima da mesa na discussão para os ODS. É necessário construir indicadores que mostrem uma realidade mais global. No entanto, enquanto não existem esses indicadores é necessário trabalhar com os que existem.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.