Memórias da cidade: Varinas de Lisboa

varinasLisboaCom o titulo Varinas de Lisboa: memória da cidade, o Museu da Cidade, agora rebatizado como Espaço Galveias, no Palácio homónimo ao Campo Grande apresenta, em exposição temporária, entre janeiro e maio deste ano uma das figuras tipo da cidade portuária e do bairro da Madragoa.

Justifica a exposição com a procura de relevar a presença na cidade. Diz “Das comunidades regionais que na capital assentaram nenhuma foi tão marcante como a varina. Proveniente do litoral do distrito de Aveiro, de Ovar lhe advém o nome. Em Lisboa, ao longo do século XIX, a comunidade instala-se sobretudo na Madragoa, marcando indelevelmente a memória coletiva, vindo a confundir-se rapidamente, graças sobretudo às mulheres, com a própria urbe.
Na exposição procura-se, sobretudo, entender a evolução de uma figura popular que, de mulher trabalhadora, mãe de família e de parcos recursos económicos, cuja liberdade na linguagem, costumes e atitudes na rua cedo captaram as atenções de nacionais e estrangeiros, se converte, por mérito próprio, em símbolo da cidade de Lisboa, e, como depois o Estado Novo se apropria da sua presença por força da propaganda oficial assumindo, assim, um papel icónico no imaginário local e internacional.
Ao cruzar as várias referências e interpretações do tema, dá-se a conhecer o lado vivencial, quase indomável e de resistência, desta comunidade dominada pelo elemento feminino, a quem a presente exposição presta a homenagem.”

É curiosa a questão da procura do fenotipo que acentua a imagem da “mulher /mãe/ pobre”  notando os costumes brejeiros (na liberdade da linguagem) e do olhar do outro. É certo que procuraram algumas das memórias vivas através das mulheres do bairro, sobretudo procurando recolher entrevistas e fazer-lhes uma “homenagem

Há nesta abordagem um certo paternalismo. No folheto de apresentação, por exemplo, diz-se “Em Lisboa ao longo dos séculos sempre se cruzaram a fixaram as mais desvairadas gentes. Vinham de outras partes da Europa, de outros continentes e outras regiões de Portugal. Um fluir de raças, credos, condições, profissões, modos de estar e de trajar”. Sublinhado nosso que mostra a confusão que estas questões mostram.

 IMG_0840IMG_0852 IMG_0853 IMG_0855 IMG_0856 IMG_0857 IMG_0858 IMG_0859IMG_0848

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


3 thoughts on “Memórias da cidade: Varinas de Lisboa”

  1. Pingback: Varinas | grupodc1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.