Participação Cidadã – os cafés Europa e o “Estarmos Atentos”

Nos últimos dias participei em dois eventos sobre participação e cidadania.

O primeiro, Portugal Participa, organizado pela InLoco e  CES em colaboração com a Câmara Municipal de Cascais e o Instituto de Inovação social. Ainda não tivemos tempo de coligir as notas dessa oficina neste diário, o que faremos em breve, pois suscitam-nos notas interesantes notas. Para quem tem  curiosidade pode ir ao portal que foi lançado nessa sessão aqui.

Hoje participamos numa outra iniciativa de apelo à participação cidadã. Esta sobre Uma nova narrativa para a Europa. Trata-se duma iniciativa da comissão europeia e Parlamento Europeus que em Portugal conta com o apoio do Centro de Informação Jacques Dellors e é animada pela associação Sete Pés.

Deixaremos para outra ocasião a questão dos princípios da nova narrativa proposta que propões discutir num evento a realizar no Porto a 23 de janeiro uma proposta sobre o ” NOVO RENASCIMENTO E NOVO COSMOPOLITISMO”

“A Europa precisa de uma mudança de paradigma para a sua sociedade – na realidade,
precisa de nada menos do que um “Novo Renascimento”, lê-se na Declaração do Comité
Cultural do Projeto Uma Nova Narrativa para a Europa. Ao evocar aquele período
europeu do séc. XV e XVI em que a sociedade, a arte e a ciência abalaram a ordem
estabelecida e criaram os fundamentos e a dinâmica para a atual era da Sociedade do
Conhecimento, os autores daquela Declaração reivindicam a necessidade de um novo
paradigma para a sociedade europeia do séc. XXI, assente num “Novo Renascimento”.
Precisa também de um novo cosmopolitismo para os seus cidadãos “que englobe
ambientes urbanos dinâmicos e criativos […]. As cidades europeias devem ser algo
mais do que centros urbanos. Devem procurar tornar-se capitais de cultura […].Porque
não começar a imaginar a Europa como uma enorme megalópode, interligada por
meios de transporte e de comunicação?”.
De que modo podemos reajustar as prioridades no quadro da entidade política que é a
Europa, à luz destes ideais que nos são propostos pelos autores daquela Declaração, um
“Novo Renascimento” e um “Novo Cosmopolitismo?

Neste evento em Lisboa trabalhamos sobre a metodologia do Europa Café.

A metodologia do Europa- Café é simples:

Como trabalho prévios preparam-se duas questões retiradas do texto “O corpo e a mente da Europa” um texto preparado por um conjunto de peritos por encomenda da Comissão e Parlamento. As questões, com enquadramento ou não são colocadas num cartão, e destinam-se a ser distribuídas pelos grupos de trabalho. No conjunto prepram-se duas a três questões para discutir.

Os grupos de trabalho, que deverão ter no máximo 25 a 30 participantes, reúnem-se numa sala em mesas de café, durante duas horas. O desafio a lançar para os participantes é de se dividirem em sub-grupos de 5 a 6 pessoas. Cada grupo debaterá uma das questões colocadas. durante cerca de 20 ‘.

No final do debate, os grupos misturam-se, ficando o coordenador do grupo na mesa, misturando-se os restantes participantes do grupo, por grupos com um questão idêntica. Nesse segundo momento, o coordenador apresentará os resultados obtidos e propõem que sejam discutidas as questões levantadas e sejam apresentadas ações concretas para os problemas. Durante 30’ o debate procurará criar um mind map do grupo.

Finalmente no terceiro momento, o grupo apresenta ao plenário as suas conclusões. O seu mind map. essas contribuições são os resultados dos trabalhos. ao coordenador caberá o papel de depurar as propostas semelhantes e das as inscrever na plataforma.

O web café tem como objetivo promover a participação cidadã e desenvolver conclusões práticas. Deverá ter-se em atenção que o ambiente de café deve ser descontraído, em volta da mesa, com disponibilidade de café ou chã. Deverá haver material para escrever e cartões de cores, Cada participante é incentivado a escrever e descrever o debate. As questões devem ser colocadas em texto.

em suma a metodologia desenvolve-se em três momentos:

  • debate (30′) Identificação – Resolução do problema
  • reformulação (30′) . O porta voz apresenta o problema e a sua solução. O grupo debate.
  • conclusões (30′) . o grupo escuta a voz de todos e up-load dos resultados (o compromisso)

No final os resultados são colocados on line em vários formatos. Filmes, fotos, textos.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.