Museologia e Pensamento Contemporâneo

Para um novo senso-comum é uma proposta epistemológica de Boaventura Sousa Santos. Desde a publicação em 1987 do “Discurso sobre as Ciências Sociais”, posteriormente desenvolvidos na Introdução a Uma Ciência Pós-Moderna em 1989 e na “Crítica da Razão Indolente: contra o desperdício da Experiência”,publicado em 2000. Sousa Santos defende que o conhecimento dominante criado pela Ciência Moderna não está de acordo com o que sabemos

A crítica à epistemologia do norte é feita a partir de três contextos de crise paradigmática: O contexto do conhecimento, o contexto sociopolítico e o contexto cultural:  Esta crise do conhecimento tem vindo a ser tratado por Boaventura Sousa Santos a partir da análise crítica da relação entre sujeito que conhece sobre objeto que é conhecido através do método de observação. O autor defende que não há uma neutralidade axiológica nesta relação, uma vez que quem questiona (ou observa) determina a resposta (a observação) A ciência é comprometida e não há um conhecimento sobre o objeto que não envolva também o sujeito que conhece.

A ciência não é mais de que um modo de explicar a realidade, através de determinados procedimentos que interferem com essa mesma realidade. O conhecimento é hoje mais uma probabilidade. Uma busca dum novo senso comum com base em pergunta pertinentes.

0

Este novo senso-comum permite conceber a existência duma realidade objetiva prévia ao sujeito. Uma realidade que é anterior ao sujeito cognostente e que o estrutura. Uma realidade que não é necessariamente conhecida por esse sujeito.

Ora todos nós, como sujeitos ou como cientistas criamos modelos sobre essa realidade. Modelos que procuram estar em correspondência e em conformidade prever essa realidade. A validade do modelo, a sua verdade, advém desta verificação.

Isto implica que não exista uma verdade absoluta, nem tão pouco uma verdade incorporada no sujeito. O que se verifica é apenas a adequação do modelo à extensão da realidade analisada. Entre a realidade e o modelo verifica-se uma diferença de extensão e de qualidade. É pois possível e muito natural que se verifique uma realidade para além da que é analisada no modelo conceptual do sujeito. Um mundo transcendente.

Uma vez que a realidade é modelada por uma ação, é essa ação que, enquanto percurso, liga o conhecimento ao mundo objetivo. Uma ação que é ela própria transcendente ao ligar o sujeito ao mundo objetivo, produzindo um conhecimento da realidade que é apenas aquele que conseguimos entender.

Ora se extensão da interrogação determina a extensão da resposta a qualidade dessa interrogação determina a qualidade do conhecimento obtido. O conhecimento é apenas uma parte do real. O que se conseguiu extrair.

Esta interrogação sobre o sujeito que conhece, o objeto que se conhece e o conhecimento em si mesmo modula o pensamento contemporâneo. As interrogações sobre a unidade e a totalidade, o contínuo e o descontínuo continuam a polarizar as categorias do conhecimento.

O Tudo é parte de outro todo, o somatório dos descontínuos é um contínuo, os recetores são também emissores e o objeto é também um sujeito deixaram de se constituir como paradoxos e incorporaram a fenomenologia do conhecimento através dos sisgtemas abertos. Sistemas de níveis em que cada elemento pode ocupar diferentes posições nem diferentes sistemas.

Se a mente dum ser humano opera num destes níveis, nada impede que se a mente social seja um outro nível. Uma mente em que o conhecimento emerge como uma natureza relacional intersubjetiva.

A proposta da intersubjetividade na museologia permite articular as relações entre a unidade da mente com as interações sociais que fundamentam a partilha social de objetos qualificados.

Casa Muss-amb-ike, 29 de Maio 2013

LogoCasaMUSS2

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.