O Curinga no Teatro do Oprimido

teatrodooprimido

Augusto Boal   (1913-2008) desenvolveu no Teatro Arena em São Paulo algumas propostas que vão marcar uma inovação na utilização do teatro como ferramenta de conhecimento, e que atualmente é seguida pela metodologia do “Playback Thatre for Social Change”, uma proposta de intervenção social, com base na ação dramática para criar consciência da posição social dos indivíduos e para a necessidade de uma ação crítica para a sua transformação.

Boal, de formação inicial na área das técnicas frequenta a escola de Artes e Dramaturgia, nos anos cinquenta do século XX, em Colúmbia(USA). Nessa altura, nos Estados Unidos viviam-se tem-pos de perseguição política e ideológica, ao mesmo tempo que se acolhiam e se recuperavam muitas propostas estéticas desenvolvidas no modernismo europeu. Entre outras influências, Boal desenvolverá “sistema Stanislavski” que levará para o Teatro Arena em São Paulo. Constantin Stanislavski nome artístico de Constantin Siergueieivitch Alexeiev (1863-1938), ator, diretor, pedagogo e escritor russo . Em 1897 fundou o Teatro de Arte de Moscovo com o objetivo de criar um teatro acessível a todos, por oposição ao teatro de elite.

Esta metodologia reúne diversas influências, nomeadamente da Psicologia e Psicoterapia. Jacob Moreno que criou um modelo de teatro espontâneo com base no jornal diário da vida de cada um é um. É considerado o fundador do Psicodrama e do Sociodrama (e do axiodrama), um método de investigação das relações interpessoais e intergrupais (por via da terapia de grupo). O objetivo do psicodrama é favorecer a relação dos indivíduos e dos grupos com emoções e os sentimentos, por via do exercício dramático. O sociodrama trabalha as relações entre os indivíduos com base no treino dos papeis socias. OAxiodrama trabalha as grandes questões culturais.

Estamos portanto no domínio da reflexão da poética como a definiu Aristóteles. O drama apresenta um potencial para explorar a essência dos indivíduos e para mobilizar as suas energias criadoras. Ao mesmo tempo, a situação em drama alicerça a aprendizagens dos papéis sociais e o desenvolvimento das redes relacionais. Um conjunto de elementos de atuam como facilitadores da consciência de si e de ação transformadora.
Esta é uma metodologia que tem vindo a ser aplica ao desenvolvimento social e pessoal do ser humano, ao mesmo tempo que é apontada como favorecendo a transformação social por via da consciência dos individuos  em relação a si e aos outros. A sua base está na a capacidade de incorporar o corpo como lugar de experiência (de ser e estar) no mundo, para o transformar por via da ação (do fazer). O Teatro do Oprimido tem uma raíz neste movimento mas ajusta-o às práticas do teatro.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


OpenEdition sugere que esta publicação seja citada da seguinte forma:
Pedro Pereira Leite (25 de Outubro de 2014). O Curinga no Teatro do Oprimido. Global Heritages. Recuperado em 21 de Julho de 2024 de https://doi.org/10.58079/p2gw


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.