Memória e Teoria social: Limites e campos emergentes para a ação museal

miriamspulveda

De Myrian Sppúlveda dos Santos, este “Memória Colectiva e Teoria social”, publicado em 2012 pela Imprensa da Universidade de Coimbra e da editora do Brasil  Annablume, constitui a 2ª edição do trablho de doutoramente da autora, realizado entre 89 e 93 na New Scholl of Social Resaerch.

Trata-se dum trabalho marcado pelo seu tempo, pelas polémicas e problemáticas. Tem contudo uma grande atualidade teórica para o trabalho sobre a memória social, pois a partir duma diversidade de abordagens atinge-se com mestria uma visão da complexidade  do trabalho sobre a memória coletiva como fenómeno. social.

A primeira parte do livro detalha com rigor o trabalhos dos classicos.A questão da relação do indivíduo com o coletivo como paradigma fundacional desta problemática. A abordagem da memória como um ritual de desenvolvimento de solidariedade no grupo, as marcas como monumentos e patrimónios que evidenciam as condições de “lugares de memória”. Ainda nesta primeira parte trabalham-se algumas abordagens mais minuciosas onde se procuram entende os processo de criação de redes simbólicas partilhadas pelos indivíduos.

Na segunda parte procura-se trabalhar a partir duma teoria crítica interroga-se a objectivação da memória colectiva.Os estudos sobre as narrativas da memória evidenciam que a linguagem  não só é uma interpretação do passado a partir do presente, como ela é também uma presença desse passado no presente. Esse questão introduz e bem a questão dos limites da teoria social sobre a memória. Trata-se duma abordagem rica que mobilizam diverso autores. ainda que as suas interpretações não sejam consensuais .

Para quem conhece os trabalhos desenvolvidos pela autora, após o seu doutoramento, este livro ajuda a entender o seu percurso de investigação e entende a actualidade da reflexão que aí é feita. Salienta-se, entre outros, os trabalhos sobre a formação das memória dos afrodescendentes no Brasil.

A utilidade deste livro para o nosso debate sobre a Memória Social advém das interrogação que  a autora faz sobre os limites da teoria social sobre a memória coletiva e, fundamentalmente a sua importância como processo de conhecimento. Uma questão que como salientamos no nosso artigo “Memórias Esbranquiçadas” relaciona a razão e a emoção como indutores de ação social.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.