Alvorada ou Aurora : Entre Sombras e Luzes

O nascer do Sol, a leste ou oriente transporta na sua semântica as tensões da história. Essa é a história social da linguagem. Amanhecer, aurora, alvorada ou crepusculo, perguntou-me o meu filho ao ver na janela a imagem.IMG_7446 copy

Aurora é a deusa romana que anuncia o amanhecer. Parte do dia que anuncia o nascer do sol.  Em espanhol (aurora; comienzo; principio; alba; despertar; amanecer), em francês (aurore; naissance; aube; éveil;), em inglês (daybreak)

Alvorada são as primeiras luzes solares, o toque militar do despertar, o primeiro canto das aves. Em espanhol (Alborada, alba), em francês (aubade, point du jour), em inglês rising sun)

 Amanhecer é o romper do dia.  Em espanhol (despertar), francês (èveil, petit jour) em inglês (dawning, to dawn)

Madrugada  já assume um significado mais lato. Tanto pode ser a claridade do início do dia. como período de tempo entre a meia-noite e o amanhecer. Em espanhol (canto del gallo; alba; aurora; puertas de la mañana) em francês (chant du coq; aurore; naissance du jour; petit jour; portes du matin.) em inglês (dawn; cock-crow; crowing of the cock.)

Trata-se de quatro termos que podem ser usados na linguagem, de forma mais ou menos precisas. Madrugas assume um sentido mais lato e menos preciso. Na linguagem abrange todo o período após a meia noite até de manhã, já com o sol alto. Já aurora será o período de luz sem que o sol se tenha levantado. Com o sol já fora da linha do horizonte temos a alvorada e o amanhecer. Antes da manhã propriamente dita, com luz já viva.

Também as palavras tem raízes diferentes. Por esxemplo, aurora provém do latim, enquanto alvorada, com o sufixo al mostra a sua herança árabe, embora também exista a palavra alba, ou alvo (em português) para mostrar uma coisa branca, associado à luz (também relacionado com alvo, pois é necessária luz para apontar ao objetivo).

A linguagem na tensão entre a escuridão, a sombra e a luz.

Também na música esta tensão está presente.

Veja-se a canção de Zeca Afonso “Filhos da Madrugada

Somos filhos da madrugada/ Pelas praias do mar nós vamos/ À procura de quem nos traga Verde oliva de flor nos ramos /Navegamos de vaga em vaga / Não soubemos de dor nem mágoa /Pelas praia do mar nós vamos/ À procura da manhã clara.

Lá de cima de uma montanha / Acendemos uma fogueira / Para não se apagar a chama /Que dá vida na noite inteira / Mensageira pomba chamada / Companheira da madrugada / Quando a noite vier que venha.

Cá de cima de uma montanha / Onde o vento cortou amarras / Largaremos p’la noite fora / Onde há sempre uma boa estrela / Noite e dia ao romper da aurora / Vira a proa minha galera /Que a vitória já não espera / Fresca, brisa, moira encantada / Vira a proa da minha barca.

Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube


One thought on “Alvorada ou Aurora : Entre Sombras e Luzes”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.