A inércia da Rede Portuguesa de Museus

Entre as várias críticas que tem vindo a ser feita à Rede Portuguesa de Museus, sobretudo sobre a sua desadequação à realidade museológica portuguesa e a sua incapacidade de integrar as questões da participação, tal como é definido no nosso Direito Constitucional, é o do seu zelo inquisitorial sobre as funções que considera que os museus devem cumprir, quando integram a rede, face ao completo desleixo sobre a verificação da sua continuidade no tempo.

Um exemplo disso é o Despacho 5978/ 2017 do Ministro da Cultura, publicado hoje em Diário da República onde, por Despacho do Ministro (note-se a preciosidade administrativa incluída no conceito luso de rede) o Museu do Brinquedo é “expulso” da rede, por ter deixado de existir.

Até aqui tudo bem. A questão é que o museus fechou portas em 2014, e sá agora, praticamente 3 anos depois é que os serviços diligentes da DGPC deram conta disso.

É o que se chama estar atento ao panorama museológico.


Pedro Pereira Leite

Researcher and professor. He had his PhD. on museology in 2011, with the title “Muss-amb-ike Homeland: The commitment on musicological process”, that was published in 2011. In 2012 he finishes a Post-PhD Research on "Biographical Glances: The intersubjectivity poetry on museology, at Lusófona University (Lisbon). Presently he is working in his Post PhD. Research about: “Global Heritages" with the aims to build a network on local cognizance and memory manager has a tool to build the will of action in 3 different communities, linked by past communed heritages.” He works at CES. He participates on different Research network, presented papers in national and international conferences, and had published books on research subjects.

More Posts - Website

Follow Me:
TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusYouTube

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *